Seis lançamentos de Buenos Aires que vêm ao Brasil

Saiba todos os detalhes sobre os automóveis mais relevantes para o mercado brasileiro exibidos na mostra

1- Renault Kwid
O Renault Kwid é, sem dúvida, o principal lançamento do salão de Buenos Aires. O subcompacto já está em esquema de pré-venda, e as primeiras unidades serão entregues em agosto. A apenas uma opção de motor: o 1.0 SCe de três cilindros, com potência menor que a de Sandero e Logan. São 70 cv de potência  com etanol e 66 cv com gasolina, além de 9,8 kgfm de torque com o combustível vegetal e de 9,4 kgfm com o derivado do petróleo. Segundo o fabricante, na cidade, as médias de consumo são de 15,2 km/l com gasolina e de 10,5 km/l com etanol.
A versão de entrada Life custa R$ 29.990 e traz quatro airbags (dois frontais e dois laterais) e ganchos Isofix para fixação de cadeirinhas de série. A intermediária Zen sai por R$ 34.990 e acrescenta direção elétrica, ar-condicionado, travas e vidros dianteiros elétricos. O aparelho de som com Bluetooth e entradas USB e AUX é opcional e eleva o preço para R$ 35.390. A top de linha Intense tem preço de R$ 39.990 e adiciona  retrovisores elétricos, faróis de neblina, central multimídia com câmera de ré, abertura elétrica do porta-malas, rodas de liga leve e chave dobrável.
O Kwid tem seis opções de cores: Orange Ocre, Vermelho Fogo, Branco Marfim, Branco Neige, Prata Étoile e Preto Nacré. A garantia é de três anos, mas compradores de fizerem financiamentos pelo Banco Renault terão dois anos a mais de cobertura.
 
2- Chevrolet Equinox

A maior atração da Chevrolet em Buenos Aires é o Equinox. Importado do México, ele rá ocupar a lacuna entre o SUV compacto Tracker e o grande Trailblazer. O lançamento no Brasil foi confirmado para outubro.

O fabricante não revelou detalhes sobre as versões que serão vendidas no Brasil; informou apenas que os mercados da América Latina receberão três opções de motorização: 1.5 turbo a gasolina de 170 cv, 1.6 turbodiesel de 160 cv 2.0 turbo a gasolina de 262 cv, sendo os dois primeiros acoplados a um câmbio automático de seis marchas, e o último, a uma transmissão automática de nove velocidades. O mais provável é que a opção mais potente seja a escolhida para o país.
3- Ford EcoSport
Outro lançamento é o Ford EcoSport 2018, que trouxe uma reestilização frontal, com grande grade e faróis mais agressivos. O painel foi redesenhado e exibe novo volante, mas a traseira não sofreu alterações.
Se por fora o modelo exibe apenas um “tapinha”, na parte mecânica as mudanças foram profundas.As versões de entrada adotam um novo propulsor 1.5 de três cilindros, que desenvolve 137 cv de potência e 15,8 kgfm de torque com etanol. O 2.0 que equipa as versões top de linha, por sua vez, recebeu injeção direta de combustível, o que elevou a potência para 178 cv, e o torque, para 22,5 kgfm, sempre com o combustível vegetal. O problemático câmbio automatizado Powershift foi substituído por um automático de seis marchas.
4- Volkswagen Tiguan AllSpace
A versão de sete lugares da nova geração do Tiguan é a maior atração da Volkswagen, mas deverá chegar ao Brasil apenas em 2018. Ainda não se sabe qual será a motorização que equipará as unidades trazidas para o Brasil: 1.4 TSI, de 150 cv, ou 2.0 TSI, de 240 cv.
5- Volkswagen Amarok V6
Sem mudanças externas, a linha 2018 ganhará uma novidade que será facilmente percebida por quem acelera: um motor turbodiesel 3.2 V6 de 227 cv de potência e 56 kgfm de torque, que deverão fazer dela a picape média mais rápida do Brasil. O câmbio é o automático de oito marchas já existente na linha atual, com tração 4×4 do tipo permanente. Ao contrário do Tiguan AllSpace, a caminhonete com novo propulsor começará a ser vendida ainda em 2017.
6- Mercedes-Benz Classe X Concept
A versão mostrada em Buenos Aires é a conceitual, e não a final, pronta para produção, que ainda não foi revelada pelo fabricante. Não importa: ela chegará ao Brasil, provavelmente em 2018. A picape Classe X divide a plataforma com a nova geração da Nissan Frontier e com a Renault Alaskan: as três, inclusive, serão produzidas na mesma fábrica, na Argentina. A  caminhonete da Mercedes-Benz, porém, terá uma opção exclusiva de motorização, provavelmente um V6 turbodiesel.
Fotos: Marlos Ney Vidal/Especial para o Carfeed

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *